Aspectos relevantes do silêncio para a construção do sentido em dados de uma idosa moradora de uma instituição de longa permanência

  • Nirvana Ferraz Santos Sampaio Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB)
  • Simone Maximo Pelis Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB)
  • José Carlos Martins Oliveira Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB)
Palavras-chave: Linguagem, Silêncio, Idoso, Instituição de longa permanência,

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar um recorte da pesquisa desenvolvida com a linguagem de idosos moradores na Instituição de Longa Permanência para Idosos – ILPI, em Vitória da Conquista, Bahia, Brasil. Os dados foram coletados a partir de filmagem e gravação dos idosos em meio a situações enunciativo-discursivas, considerando a história dos sujeitos e seus atravessamentos, bem como a condição de produção desses discursos e o conceito de dado-achado (COUDRY, 1988). Neste artigo, apresentamos a análise de dados referentes ao silêncio que ocorre em sessões com uma das moradoras dessa ILPI.   Para tanto, recorremos ao pensamento sobre o silêncio a partir de diferentes áreas, como: da Música, da Filosofia, da Psicanálise e da Análise do Discurso, enquanto disciplina de entremeio da Linguística, com conceitos relevantes para este trabalho. Apesar de serem áreas distintas, observamos que compartilham para o fato que o silêncio não é o zero, vazio, o que nos leva a interpretâ-lo como sentido. Assim, consideramos, por meio das análises, que o silêncio permeia cada signo e se infla de sentido, e que, quando está só, por si só, significa, possibilitando o sujeito institucionalizado rememorar momentos de dependência, (re)elaborar seus desejos, suas respostas.

Biografia do Autor

Nirvana Ferraz Santos Sampaio, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB)
Doutora em Linguística pela UNICAMP. Professora do Departamento de Estudos Linguísticos e Literários da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB). Professora do Programa Programa de Pós-Graduaçao em Linguística da UESB.
Simone Maximo Pelis, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB)
Psicóloga. Mestranda no Programa de Pós-Graduaçao em Linguística da UESB.
José Carlos Martins Oliveira, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB)

Mestre em Ciências da Computação pela UFPE. Professor do Departamento de Ciências Exatas e Tecnológicas-(DCET/UESB)

Referências

AZEVEDO, Nadia Pereira da Silva Gonçalves et al. A linguagem atípica e o silenciamento em afasia e gagueira: uma análise discursiva (Atypical language and silence in aphasia and stuttering: a discursive analysis). Estudos da Língua(gem), [S.l.], v. 17, n. 1, p. 37-54, mar. 2019. ISSN 1982-0534. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/estudosdalinguagem/article/view/5312>. Acesso em: 07 set. 2019. doi: https://doi.org/10.22481/el.v17i1.5312.

BAUMAN, R. Speaking in the light: the role of the Quaker minister. In: Bauman, R. e Sherzer, J. Explorations in the ethnography of speaking. London: Cambridge University press, 1974.

BURKE, P. Anotações para uma história social do silêncio no início da Europa moderna. In: A arte da conversação. São Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista, 1995.

CAGE, J. Silence, Lectures and Writings. Wesleyan University Press, Middletown, Connecticut, 1939 (1961), disponível em <https://archive.org/details/silencelecturesw1961cage/page/n1 > acesso em 14 de maio de 2019.

COSTA, E. M. A. Análise do discurso de sujeitos afásicos e de seus familiares sobre a afasia. Tese de doutorado. UNICAP. Pernambuco. 2019.

COUDRY, M. I. H. O que é dado em Neurolingüística. In: CASTRO, M.F.P. (Org.). O método e o dado no estudo da linguagem. Campinas, SP: Editora Unicamp, 1996, p. 179-194

HEIDEGGER, M. A Caminho da Linguagem. Petrópolis, 5ªed. RJ. Vozes. Bragança Paulista, SP: Editora Universitária São Francisco, 1959. Edição consultada. 2011

HELLER, A. A. Tese (Doutorado em Literatura): John Cage e a Poética do Silêncio. Universidade Federal Santa Catarina. 2008. Disponível em https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/91918/257998.pdf?sequence=1 > acesso em 16 de maio de 2019.

KREMPEL D. L. B. Curso em Acústica das Edificações e Ambiental, USP, São Paulo, SP, 2015.

LACAN, J. Estou Falando com as Paredes, conversas na Capela de Saint-Anne. Rio de Janeiro: Zahar. 2011.

LACAN, J. O Seminário – 1 – Os Quatro Conceitos fundamentais da psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar. 1985.

LIMA, J. S. Comentários sobre as coisas de Heidegger. Revista SABERES, Natal – RN, v. 1, n.4, jun 2010.Disponível em < http://www.cchla.ufrn.br/saberes > Acesso em 01 de maio de 2019.

NASIO, J.-D. O Silêncio na Psicanálise. Tradução de Martha Prada e Silva. Rio de Janeiro. Jorge Zahar. 2010.

ORLANDI, Eni P. As Formas de Silêncio: no movimento dos sentidos; 6ª ed. SP, Editora Unicamp. 1992. Edição consultada: 1995.

PEREIRA, Carlos Arthur Avezum. O Silêncio na Obra de John Cage: uma poética musical em processo. ANAIS DO III SIMPOM 2014 -SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PÓS-GRADUANDOS EM MÚSICA Disponível em <http://www2.eca.usp.br/nusom/sites/default/files/4682-24074-1-PB.pdf> acesso em 16 de maio de 2019.

SAMPAIO, N.F.S. Linguagem e memória no envelhecimento: um estudo neurolinguístico. Revista Investigações - Vol. 25, nº 2, Julho/2012

SAMPAIO, N.F.S. Uma abordagem sociolingüística da afasia: o Centro de Convivência de Afásicos (UNICAMP) como uma comunidade de fala. Originalmente apresentada como Tese de Doutorado. Campinas: Dep. de Lingüística, Instituto de Estudos da Linguagem, UNICAMP, 2006.

SAMPAIO, Nirvana Ferraz Santos. O Centro de Convivência de Afásicos em foco (Focus on Centro de Convivência de Afásicos). Estudos da Língua(gem), [S.l.], v. 6, n. 2, p. 67-96, dez. 2008. ISSN 1982-0534. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/estudosdalinguagem/article/view/1067>. Acesso em: 07 set. 2019. doi: https://doi.org/10.22481/el.v6i2.1067.

SAMPAIO, N.F.S. BERNARDES, K.F.B. A estrutura e funcionamento de uma instituição de longa permanência para idosos: a percepção da linguagem. 2019 (no prelo).

SAUSSURE, F. Curso de Linguística Geral. 28ª ed. Editora Cultrix. SP. São Paulo. 1916. Edição consultada: 1995.

Publicado
2020-03-31